por que germinar grãos?

Os alimentos germinados são grãos, sementes e leguminosas que deram início ao processo de criação de uma nova planta. Esses grãos e sementes são concentrados em nutrientes que, de certa forma, estão "adormecidos” no interior desse alimento e à espera das condições ideais para se desenvolverem. Quando lhes damos água, oxigênio e temperatura ideal, este alimento dá inicio a diferentes processos bioquímicos que tem como finalidade a criação de uma nova planta.


Imagem: wholefully


Esses alimentos germinados são considerados alimentos bioativos e constituem praticamente os únicos alimentos que chegam aos nossos pratos com o seu potencial vital totalmente inalterado. Um grão, depois de germinado, pode ter seu teor de minerais ou vitaminas multiplicado cerca de 20 vezes, o que possibilita a realização de uma alimentação muito mais rica e completa.


O processo de germinação garante melhor digestão, maior concentração e maior possibilidade de absorção de substâncias, em comparação aos grãos e sementes não germinados. Dentre os nutrientes importantes estão os antioxidantes, os ácidos graxos essenciais, as proteínas, as fibras, as vitaminas e os minerais. Outras vantagens dos germinados são: eliminam compostos inibidores de enzimas; aumentam o número de enzimas digestivas e de fitoquímicos similares ao estrogênio, melhora a qualidade do sono e a pressão arterial, entre outras propriedades.


Como escolher os grãos a serem germinados?


Os alimentos a germinar são normalmente grãos de cereais, leguminosas ou sementes, e cada um destes terá diferentes tempos de germinação, assim como diferentes sabores após a germinação.


Podemos germinar cereais como o trigo, a cevada, o trigo sarraceno, ou mesmo o centeio. Podemos ainda germinar leguminosas como a soja, feijão, grão de bico, ou lentilhas, e podem ser consumidos em saladas ou outros pratos frios. Os exemplos mais conhecidos são os brotos de soja ou de alfafa, à venda em mercados.


Podemos ainda, germinar oleaginosas como nozes, amêndoas, avelãs ou sementes de girassol ou de abóbora: o valor nutricional das sementes aumenta consideravelmente, além de se tornar bem mais digerível. No entanto, as sementes oleaginosas não formam brotos.


Imagem: wholefully

Como germinar grãos e brotos?


- Utensílios:


  • Recipiente de vidro

  • Filtro (pedaço de tela fina, gaze ou musselina)

  • Elástico


- Germinação:


Coloque as sementes no fundo do vidro. Se forem sementes pequenas (alfafa, trevo, rabanete, etc.), utilize 1 colher (sopa) para um vidro de 250 ml (1 xícara). Para sementes maiores (lentilha, feijão, trigo-sarraceno, etc.), utilize 80 ml (1/3 de xícara) para um vidro de 250 ml (1 xícara).

Coloque um elástico, prenda o filtro na abertura do vidro e enxágue as sementes na água morna para retirar toda a poeira.

Encha o vidro com água filtrada e deixe as sementes de molho pelo menos 8 horas.

Em seguida, descarte a água, enxágue e coloque o vidro sobre um escorredor de louça, com a abertura para baixo.

Enxágue 2 ou 3 vezes por dia, deixe escorrer a água e coloque o vidro de volta no escorredor de louça. As germinações precisam respirar. Deixe germinar o tempo necessário, conforme o tipo de semente.

Enxágue bem, escorra e saboreie. Pode ser guardado na geladeira por 5 a 7 dias.


OBSERVAÇÕES:


A água filtrada é essencial para o período de demolha, para o enxágue, porém, você pode utilizar água da torneira.

A escuridão estimula o crescimento das germinações nos primeiros dias. Coloque o vidro em um armário (desde que bem arejado) ou simplesmente cubra-se com um pano.

Após o terceiro dia, a alfafa e o trevo podem ser enxaguados só uma vez por dia, para durarem mais e ficarem crocantes.

49 visualizações